História

Diante de um cenário de dualidade, observando-se as estatísticas do IBGE – censo de 2010. No qual a região do Barreiro se destaca com 36% (trinta e seis por cento) do PIB da capital, todavia, com retorno em investimentos nas áreas de saúde, educação, moradia e estrutura, na faixa de apenas 9% (nove por cento). E, após diversas reflexões recorrentes, entre diversos artistas e envolvidos em cultura de forma geral, sobre as vicissitudes de se fazer e estabelecer a arte e a cultura na região do Barreiro, forma-se, em março de 2017, o Instituto Macunaíma de Cultura – Escola de Cidadania (IMC-EC).

Um de suas pautas é a aproximação de profissionais de diversos segmentos artísticos sob o amparo de uma instituição voltada para o trabalho coletivo, solidário e cooperativo. Por consequência, fomentar ações que promovam a qualidade vida e o exercício da cidadania através da cultura popular e da educação e meio ambiente, para os diversos e mais variados públicos (crianças, jovens, adultos e idosos), da região do Barreiro.

“Somos artistas, educadores, mobilizadores culturais, voluntários que possuem em si um desvelado desejo e idealismo de se encontrar num ‘mundo’ melhor, e mais que isto, fazer parte sendo agentes transformadores.”

Desde sua fundação o Instituto Macunaíma produziu e colaborou com diversos eventos. Grande parte destes, realizados pelo próprio Instituto, contando com voluntariado e parcerias, além de eventos apoiados e articulados pelo próprio instituto.

Consolidado por meio de suas ações pontuais e positivas, o Instituto Macunaíma de Cultura – Escola de Cidadania, sob sufrágio e em meio a diversas outras instituições e iniciativas concorrentes, foi empossado em dezembro de 2018, Conselheiro de Direito no CMDCA (Conselho Municipal do Direito da Criança e do Adolescente), da cidade de Belo Horizonte, com mandato vigente até 2021.

Sendo entidade cadastrada no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, e o Conselho Municipal do Idoso.

Embora o IMC-EC não faça distinção de público a ser alcançado, torna-se evidente, considerando-se o campo da cidadania e qualidade de vida, que seja dada uma atenção maior à criança e ao adolescente. Investir nos jovens, é garantir o futuro de sociedade plural, mais justa, com cidadãs e cidadãos integrados! Ir de encontro a Escola de Cidadania.